Ela estava se separando e buscava auxilio profissional e orientações técnica de um advogado. Fui indicado por uma amiga em comum marcamos encontro em meu escritório. Vesti como sempre, terno e gravata, sou alto, magro, uso óculos, sou dono de um bumbum e pernas torneadas e coxas musculosas advindas de musculação diária. Peguei minha maleta e fui fazer jus a profissão. Cheguei antes de minha convidada e aguardei. Esperava ver uma mulher mal amada, deprimida e para baixo com sua alto estima localizada no pé, porém ao vê-la adentrar ao ambiente meu queixo caiu e bateu na mesa, ela era bela, vinha flutuando sala adentro com uma saia que moldava as formas de seu quadris e uma blusa fina que fazia seus seios quase pularem para adiante, pude registrar sua boca carnuda e convidativa ao apreciar a cor carmim de seu batom, ela planou até a mesa e com um sorriso cândido estendeu a mão e tocou a minha olhando-me nos olhos disse -- sinta com estou nervosa. Sua mão suada deslizou meu braço e eu ruborizei, já não pensava que estava ali para uma orientação profissional e sim para um orgia sexual. Ao me descobri sem fôlego pensei, paixão ou tesão?!, instalado de imediato. Ficamos conversando quase uma hora, não sei o que dissemos, nada registrei em minha mente, minha mão anotava, porém meus membros (pênis e cabeça) pensavam em coisas indecentes. Acrescentei para finalizar,frases feitas como:

Tudo vai se resolver. Não fique nervosa. Não sei como um homem pode deixar uma mulher como você escapulir e segurei sua mão de encontro ao meu peito e para minha surpresa ela não recuou instalou-a ali e alisou-me, depois desse episódio ousei e reclinei por sobre ela beijando-a e ela retribuiu ao beijo, sentindo um tesão latejante tive que me conter para não cair por cima dela, ergui-me passei a chave na porta e fitei-a, ela falou "minhas pernas estão tremulas", puxei-a para mim e beijando seu pescoço longo e sensual, desabotoei sua blusa ansiando tocar aqueles fartos seios e liberta-los do sutiã vermelho que os prendia, enfiei meu rosto no meio deles e tornei a beija-la, envolvendo-a em meus braços, ela fechou os olhos e deixou-se levar languidamente enquanto eu alisava sua coxas e apalpava sua bunda, seguia beijando sua barriga, seu umbigo, seu ventre, levantei sua saia, abaixei sua calcinha de seda sentindo sua pele quente e úmida, meti minha boca naquela fenda arremetendo minha língua para faze-la gozar, resvalei em seus lábios vaginais e suguei seu botão de prazer, ela se abriu para mim, curvou seu corpo e gozou soluçando enquanto introduzia minha língua para dentro sentindo seu espasmo e solvendo seu liquido precioso. Descansamos deitados no chão.