ENCONTRO MARCADO

...Só o havia visto uma única vez, e logo percebi algo especial, diferente, uma energia fluindo entre nós, apenas ao apertar tua mão. Ao nos despedirmos tu me tocaste a cintura, senti meus pêlos eriçarem e tu partiste.
Segundos, minutos, horas, dias, meses se passaram,;o ano mudou e eu pensei: Será que apenas eu senti essa gostosa sensação de querer tê-lo ao meu lado?!
Belo dia, ouço o telefone tocar e, ao atender, tua voz surge distante. Brasas voltam a me aquecer e tu dizes:
''Retornarei em breve: temos negócios a tratar''.
Data agendada. Hora chegada. Sigo com os materiais ao teu encontro. Interfono e como um cavalheiro tu desces para receber-me. Encanto-me com tua gentileza. Ao tocar-te sinto que nada mudou – apenas adormeceu –, sigo seus passos e entro em sua suíte, ponho a bolsa de lado, pego a pasta com documentos e após breve troca de amenidades começamos nossa reunião.
Discorro sobre o projeto quando, sem querer, miro teus olhos. Tu me hipnotizas, mergulho no teu mar, já não escuto mais o que me falas; te quero como jamais quis alguém. Tive a certeza que fui lá te buscar, tu notas algo diferente no ar, sorri um riso maroto e ruboriza esse rosto lindo por sob sua deliciosa barba.
Recolho o material de trabalho. Não quero isso, quero você.
Peço permissão e tu encabulas. Sem esperar pela resposta, chego perto dos teus olhos conquistadores, de tua boca convidativa e como um pintor uso teu corpo como uma tela e meus beijos com um pincel: pinto um quadro de desejo seguindo pelo teu rosto, pescoço e nuca.
Pressiono meu corpo ao teu, tu ofegas eu respiro o teu ar, tu cedes e se abre para mim, oferecendo-me teus beijos; o desejo acende nossos corpos e quanto mais me aproximo, mais quero me dar toda. Teu corpo rola por sobre o meu e, em movimentos mágicos, estamos ambos despidos. Sinto teu corpo firme, tu me fazes flutuar desejando ter mais e mais – meu corpo precisa do teu –, que tolos nós fomos em perder tanto tempo para viver esse momento tão especial. Sinto-te rijo entre minhas coxas, sei que tu também anseias por mim e teu corpo entra no meu; sinto teu membro latejar, meu ser precisando de ti, minha alma precisando da tua. Tornamo-nos um só explodindo de prazer, vejo estrelas cintilarem, o tempo voa lá fora enquanto aqui, para nós dois, o tempo parece não passar.
Nos amamos repetidas vezes. Exausta, aconchego-me em teu ombro e pouso a face em teu peito peludo e tu me envolves com teus braços fortes num abraço apertado.
Te quero tanto, te quero todo meu.
No escuro do quarto busco o conforto do teu calor.
Ah, se eu pudesse te fazer entender. Me entreguei sem pensar, foi como se nos conhecêssemos há anos e tu tão doce, tão forte, tão viril, um ser especial.
Sonolenta, sinto teu cuidado por mim, desperto e percorro teu corpo com minhas mãos, sentindo-o acordar forte, teso, reacendendo a chama do desejo. Passeio pelos teus cabelos, te busco na penumbra da cama e tu me provocas, me fazes incendiar. Colo meu corpo ao teu, me encaixo em ti, cavalgamos, rolamos, passeamos toda a cama e uma vez mais a sensação inesquecível, única, nos une em um só.
Beijo-te e te deixo abraçado aos travesseiros com uma promessa tua de ter mais, muito mais...

SAUDADES

Há dias não ouço a sua voz. A distância é grande entre nós – ao menos fisicamente, pois emocionalmente estou mais que ligada a você e louca por cada pedaço seu. Sinto saudades do seu timbre sedutor ao meu ouvido, fecho os olhos e devaneio com seu retorno, sua pele tocando a minha, a maciez de nossos corpos colados, as cargas elétricas mútuas que surgem instantaneamente.
Meu ser soluça pelo seu, aliso minha pele, passeio por caminhos descobertos e tatuados por suas mãos em meus contornos, mexo em meus seios saboreando a forma dos seus lábios que ali estiveram, afasto minhas coxas deixando transparecer minha flor desejosa em ser regada pelo seu precioso líquido, toco meu botão de prazer já tão carinhosamente afagado por ti, deliro ao explorar-me com minhas próprias mãos como que sendo suas, gotas de suor molham minha testa, meu rosto afogueado muda de cor, meu ser inteiro pulsa por ti, sonho com o momento em que firme, forte e louco de tesão tu preencherás meu espaço fazendo nossos corpos se fundirem como um só, gozo pensando em você, desejo-lhe, hoje mais que ontem, o quero mais cedo, mais tarde, mais sempre.

NOITE

À noite, no escuro do quarto, à luz do luar, sinto sua falta e ponho-me a pensar em nós. Será que você pensa em mim?
Será que se toca intimamente desejando possuir-me, querendo ter meu corpo entre suas mãos?
Tenho saudade do seu toque, do roçar do seu corpo, desse bumbum lindo, dessas pernas enroscadas nas minhas, de falar horas, de calar sem pesar. Você me ganhou, anseio por você inteiro, sem limites, intenso. Quero ser sua; deitar, dormir, acordar e fazer amor gostoso; você mudou meu roteiro. Nasceu um novo capítulo no livro de minha vida.

VOCÊ.

Você entrou em mim com tanta força que não sobrou espaço para mais ninguém. Nosso encontro estava destinado.
Não fica sem graça ou sem jeito, coisa linda, você me deixa de quatro e eu a-do-ro essa sensação ma-ra-vi-lho-sa. A vida flui melhor, a pele brilha, a fantasia cria asas.
Você está em meus sonhos ao dormir e é o primeiro em meu pensamento ao despertar, você circula em minha cabeça, a chama do desejo queima forte, meu corpo clama em tê-lo, você levou uma parte de mim, me leva inteira, vai, ou vem todo para mim, vem, quero você.

A PRAIA

A tarde caiu e eu caminho pela praia. A areia morna mistura-se aos meus pés, a visão do mar em contraste com o céu me acalma, sento e recosto-me em um dos coqueiros. Fecho os olhos e penso em nós, você havia ligado e pedido que o esperasse em nossa praia.
Sua imagem vem e vai. Abro os olhos. A praia está deserta e só o luar banha este lugar e me faz companhia.
Levanto os olhos e vejo a cor clara da sua pele refletida nos raios prateados. Percorro todo o seu corpo, admirada, enquanto você se aproxima como que flutuando e me encho de desejo ao perceber seus cabelos dourados desalinhados pelo vento.
Troco um olhar contigo e comungamos daquela excitação com ardor indomável. Deito-me na areia e lhe espero, convidativa, oferecendo meus lábios molhados e carnudos.
Você chega e me dá sua boca, colando seu corpo ao meu, desabotoando minha blusa, deixando saltar meus seios róseos.
Minha boca segue como que um imã aos seus chamados e você me recebe cheio de desejo, puxando meu corpo para si. Enfio a mão na sua bermuda, sentindo seu pênis úmido e grosso, anseio arrancar o tecido que esconde tudo aquilo ali mesmo, porém contenho meu ímpeto e você puxa minha saia e calcinha, deixando-me nua só para o seus olhos.
Delicadamente percorre todo o meu ser com sua boca, suga meus mamilos, mexe no meu umbigo, lambe meu ventre, enfia a língua em meu sexo com muita suavidade e eu me abro para você curtindo a sensação, acompanhando seu ritmo com movimento de quadril erguendo e descendo. Esfregamos nossos corpos e nos perdemos no suor salgado com beijos e sussurros, cavalgando incansavelmente na escuridão, banhados ocasionalmente pelos raios do luar. Eu, agora nua, lânguida ali deitada ainda quente com você inteiro em mim, ouço você gemer, gozamos juntos, acalmando temporariamente nossos desejos febris.
Você me acaricia a pele e sente a areia arranhar-me as costas. Cheio de zelo, rapidamente, me põe nos braços, leva-me ao mar, inclina-se para frente deitando-me na água morna.
Sinto sua mão subindo por entre minhas pernas lavando meu sexo, olho em seus olhos gananciosos buscando você quando sinto uma nova ereção avançando e colo minhas pernas em torno do seu tronco para tê-lo novamente, forte, firme, gostoso e desta vez dentro do mar.