Estava agitada, estressada e chateada com o excesso de trabalho então decidi que era hora de malhar. Não fumo, não bebo, não tenho vícios, desta feita me refaço executando séries pesadas de musculação.
Liguei pra meu personal trainer intimando-o a encontrar-me na academia, e, apesar de já passar das 22h, cheguei ao local em dez muitos.
Tomei uma ducha gelada, pus short e top e aguardei.
Minutos depois quem vejo adentrar ao recinto não é o meu personal, mas ele vem até mim e apresenta-se dizendo que seu primo o enviou já que estava com outra aluna, afinal eu ligara em cima da hora mas, para não me deixar na mão, ele o enviou.
Logo me animei. O rapaz era um gato, corpinho bem definido,peludo, com olhos negros que combinavam com os pêlos que cobriam seus braços e pernas.
Voltei ao mundo real e disse:
''Bem, então vamos ao que interessa.''
Lá fomos nós. Alonguei, aqueci e começamos a série.
Nas máquinas, a minha pele brilhava e o suor escorria pelo meu rosto, vale salientar que a academia estava praticamente vazia, havia apenas nós dois naquela sala e quando deitei para pegar halter e ele debruçou-se por sobre mim para enxugar meu suor e senti seu cheiro, estremecendo de desejo.
O tesão estampou-se em meus olhos e de perto ele o percebeu,.
Puxei-lhe pela camiseta, mergulhando minha mão em seus pêlos fartos do peitoral musculoso, as sensações invadiam minha alma e percorriam todo o meu ser.
Beijei-lhe a boca sentindo o gosto de seus lábios carnudos e o aroma de seu hálito fresco, puxei-lhe mais e ele caiu por cima de mim deixando-me sentir a força do seu desejo através da bermuda. A sensação era tão intensa que ameaçava meu autocontrole. Com uma mão ele acariciou minha cintura e puxou-me agilmente para o chão. Sua proeza era tamanha que ele seguiu desvendando aos poucos meus segredos mais íntimos.
Com o contato de sua pele macia e seu pêlo molhado, perdi o juízo que já não tinha ao passo que senti seu membro quente entre minhas coxas. Ele aterrissou em mim e eu me abri para recebê-lo, puxando sua cabeça de encontro ao meus seios entumecidos. Ele chupou, sugou, acariciou ambos fazendo-me subir aos céus.
Abri a boca deixando escapar um suspiro trêmulo e supliquei para que metesse mais fundo. Ele, sem pestanejar, arremeteu em minha receptiva gruta que o abraçou assim como eu fiz com o seu corpo, envolvi-lhe com as pernas, entrelaçando sua cintura, sentindo cada centímetro daquelas estocadas vigorosas.
O silêncio se fez total e só nós existíamos naquele momento onde tudo aquilo era novidade para a mulher racional que eu sempre fui.
Voltei a terra após viajar as estradas do gozo fantástico.